FANTASPORTO

FANTASPORTO


-

O GRANDE CINEMA DO MUNDO VEM AO PORTO

FANTAS GOES GLOBAL

 

A grande festa do cinema regressa ao Porto e ao Rivoli permitindo a descoberta dos filmes mais marcantes de 2017 e de 2018. A 38ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto- Fantasporto teve 609 filmes inscritos para seleção vindos de 60 países entre os quais África do Sul, Argentina,  Áustria, AustráliaBangladeshBielorússiaBósnia HerzegovinaBulgáriaBrasil,  Canadá, Cambodja,  ChileChinaColômbia, Coreia do SulCuba, Dinamarca, Estados Unidos da América, EgiptoEmiratos Árabes Unidos, EslováquiaEstóniaFilipinasFinlândiaÍndiaIrãoIraque, IslândiaIsrael, Japão,  LíbanoLuxemburgoMacedóniaMarrocos,  MéxicoNoruegaNova ZelândiaPolónia, República do Quirguistão, Reino UnidoRepública ChecaRoméniaRússiaSuécia, SuiçaTaiwanTurquiaUcrânia, Venezuela e logicamente Portugal, entre muitos outros países europeus. Sessenta países dos “5 cantos do Mundo” o que revela uma imagem e reconhecimento internacional fortíssima do Festival portuense. Note-se que até 2013 a média de países participantes era de cerca de 20 pelo que o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo certame a nível internacional tem tido excelentes resultados também para o Porto e para o País. Aliado a isso, muito também ajudam os vários epítetos que tem recebido dos média internacionais como sendo um dos dois melhores do Mundo na vertente do Fantástico, um dos dez mais importantes de cinema independente ou um dos 25 maiores festivais do Mundo como referiu a Variety, a “bíblia” do cinema.

O resultado foi a seleção de 112 filmes inéditos, a  maioria em ANTESTREIA MUNDIAL, ANTESTREIA EUROPEIA e ANTESTREIA INTERNACIONAL, tudo feito numa colaboração com as grandes companhias de produção mundiais e o melhor que foi visto da produção dita independente. 

 

GRANDES TEMAS, GRANDES FILMES

 

Recebidos de 60 países de todo o Mundo, entre os quais alguns tão longínquos e inesperados como o Bangladesh, a Bósnia Herzegovina, Cambodja, Quirguistão, Iraque, os mais de 600 filmes vistos reduziram-se a 102, a maioria em Antestreia Mundial, Internacional e Europeia,  num esforço de visionamento que durou meses, de escolha de curtas e longas metragens que representam o melhor do cinema actual e do seu modo de ver o nosso mundo.

Haverá, assim, muitos convidados estrangeiros que estarão disponíveis para conversas no fim da exibição dos seus filmes ou em encontros especiais onde se discutirá o cinema de hoje com os espectadores e cinéfilos que frequentam o Fantasporto.

Aprendizagem e convívio, como sempre algo de fundamental no Fantas.

 

ABERTURA MAIS OUTRA ABERTURA PARA AS COMPETIÇÕES E O ENCERRAMENTO

 

 O 38º FANTASPORTO inicia-se com Marrowbone de Sergio G. Sanchez (Espanha), uma produção falada em inglês, no dia 20 de Fevereiro, e fecha com Le Fidèle” de Michael R. Roskam da Bélgica, o candidato do país aos Óscares.

 

A Abertura das competições no dia 23 Fevereiro é feita com uma mega-produção russa, “Anna Karenina: Vronsky’s Story” do consagrado (e já homenageado pelo Fantas) realizador Karen Shaknazarov. Este filme vai além do romance de Tolstoi e enquadra o abandono de Anna pelo oficial no contexto histórico da Rússia da altura.

 

Aqui ficam alguns dos surpreendentes filmes a concurso, todos inéditos em Portugal, desta 38ª edição:

 

Al Asleyeen-  Super -produção egípcia com um tema inesperado vindo de um país árabe. Numa sociedade tecnológica, onde o telemóvel e a vigilância adquirem uma importância enorme, um bancário despedido acaba de ser obrigado a fazer o que não quer. Fábula política e drama humano numa extraordinária história cheia de actualidade.  ANTESTREIA MUNDIAL

November- espantosa e original produção, integrado nas listas dos melhores filmes de 2017, representante da Estónia aos Óscares e premiado no Festival de Tribeca (EUA), sobre as tradições rurais e os seus monstros.

True Fiction- Um jovem tem aspirações ao poder sob a proteção de um poderoso senador. Um filme coreano com argumento pleno de surpresas que questiona o poder absoluto dos políticos, as suas prepotências e traições. ANTESTREIA MUNDIAL 

Uma Vida Sublime- Do realizador Luís Diogo, uma história de terror original cujo protagonista tem a melhor das intenções. Seguindo a sua carreira singular, depois do premiado internacionalmente “Pecado Fatal”. ANTESTREIA MUNDIAL

The Charmer- O drama da integração dos imigrantes na Europa.  Não basta ter sucesso em tudo para se ser integrado. A crueldade suave da integração. Filme dinamarquês premiado em Chicago, San Sebastian e Varsóvia.

Glass Garden –Fábula fantástica sobre uma cientista que estuda as árvores e a sua interação fisiológica com os humanos. Filmada com uma sensibilidade extraordinária, é também uma história sobre os excluídos e a destruição do ambiente. ANTESTREIA EUROPEIA.

 

Les Affamés- Do cineasta canadiano Robin Aubert (“Les Martyrs” premiado já no Fantasporto), este filme mostra outro lado de fantástico, considerado melhor filme no festival de Toronto, e com prémios também em Montreal e em Madrid. Inquietante e original, escapando aos estereótipos.

 Ajin- Demi Human- vindo da maior companhia de cinema do Japão, a Toho, e no seguimento do acolhimento há 2 anos de “I’m Not a Hero” no Fantasporto, chega-nos agora uma história fantástica sobre humanos que não morrem, numa perspectiva cheia de originalidade e acção, questionando o poder dos que sabem que podem fazer tudo sem consequências.

Anna Karenina: Vronsky’s Story -Uma mega-produção da Mosfilm abre as competições. Um olhar para além do romance clássico de Tolstoi, o filme mostra uma surpreendente criação de Karen Shaknazarov e o outro lado da conhecida história de Anna Karenina, a mulher casada que se envolve com um oficial do exército. Sumptuosa recriação da aristocracia russa no séc XIX.

A Day – Um pai, por circunstancias várias, chega tarde de mais, ao encontro com a filha e esta morre num acidente. Terá de reviver várias vezes e com as mesmas pessoas a sua tragédia, convivendo com os culpados e os inocentes. Os diferentes ângulos e revelações surpreendentes farão dele próprio um instrumento involuntário da sua desgraça.  ANTESTREIA EUROPEIA

 A Comédia Divina – Do Brasil, com toda a graça tropical possível e com orçamento de super-produção (da Globo), uma história entre Deus (uma mulher negra e divertida, interpretada pela fabulosa Zézé Mota) e um Diabo desesperadamente à procura de clientes. INTERNATIONAL PREMIERE

Bhoy Intsik- Vindo das Filipinas, um exemplo pujante da qualidade emergente desta cinematografia. A história de um travesti nas ruas da cidade de Manila, à procura da humanidade que lhe foge. Prémio do Público do Festival de Manila. INTERNATIONAL PREMIERE

 

NÃO FALTARÃO AS CURTAS METRAGENS FANTÁSTICAS

 

Numa longa sessão dedicada à competição de Curta Metragens de raiz fantástica, a presença de mestres absolutos deste formato como Rosto, uma presença habitual no festival, Cashell Horgan, cujo “The Clockmaker’s Dream”, estreado no Fantasporto, ganhou já nais de uma vintena de prémios internacionais, ou Tony Morales cujo “Hada” seguiu do Fantas para o mundo como uma das melhores curtas de horror do ano. Também presente “The End of Time”, premiada curta do realizador Milcho Manchevski, já homenageado pelo Fantas com uma retrospectiva Sweet Water” de Drew Casson, outro premiado do Fantas. Curtas- metragens, a maioria em Antestreia Mundial e Europeia, vindas de 14 países, desde à animação à imagem real, desde a ficção científica ao fantástico poético e ao horror.

 

A TV GLOBO EM DESTAQUE

 

No seguimento da colaboração iniciada em 2017 com o gigante multimédia do Brasil, o Fantasporto orgulha-se de apresentar novos filmes da sua mais recente produção, desde o delicioso “ Meio Expediente” de Santiago Dellape que já visitou o Fantasporto com o premiado “A Repartição do Tempo”, e que foi “o”  filme de Natal” da Globo, “Vade Retro”, uma história de diabos bem à brasileira (que Berlim também vai acolher), e “Carcereiros”, ganhadora do Prémio MIP TV de Melhor Série de 2017 em Cannes. Todos eles filmes cheios de actores da mais fina nata do país, e caras bem conhecidas em Portugal.

 

RETROSPECTIVAS A NÃO PERDER E AS DUAS VINDAS DE TAIWAN

FRENTE A FRENTE O CINEMA DE AUTOR E O POPULAR

 

Absolutamente a não perder a retrospectiva dos B-Movies de Taiwan, exemplares influentes da mudança história no país quando este se separou da China e que revolucionou os costumes, a sociedade e o modo de ver o cinema e restantes criações artísticas, com as suas heroínas que se opunham aos homens em pé de igualdade, e as fabulosas lutas encenadas de artes marciais tradicionais.

Destaque ainda a retrospectiva do cineasta Tso-Chi Chang, realizador e argumentista polémico, mestre do cinema realista de Taiwan, premiado no festival de Berlim, Tóquio, Tessalónica, Taipé ou Singapura e selecionado para o Festival de Veneza.

Uma colaboração com o Taiwan Film Institute.

 

CINEMA PORTUGUÊS EM GRANDE...

 

No que respeita ao Prémio de Cinema Português, com 45 filmes novos, entre os quais longas metragens em ANTESTREIA MUNDIAL de Luís Diogo, (“Uma Vida Sublime), Fernando Vendrell (“Aparição”)  na secção Semana dos Realizadores e de Bernardo Lopes e Helder Faria (”Doutores Palhaços”), esta última apresentada em sessão especial dedicada ao célebre movimento de solidariedade Nariz Vermelho.

Os restantes filmes portugueses candidatos ao Prémio de Cinema Português provêm sobretudo das 8 Universidades e Escolas de Cinema associadas ao Fantasporto, a saber, as Universidades do Minho, Católica do Porto, Lusófona de Lisboa e Trás os Montes e Alto Douro, e escolas como a ETC/EPI de Lisboa, ESAD das Caldas da Rainha, ESMAD e ESAP, ambas do Porto.

 

HOMENAGEM- LAURO ANTÓNIO, realizador, argumentista e extraordinário divulgador do Cinema, vai apresentar ao vivo no Rivoli a sessão dedicada a “Manhã Submersa”, a sua primeira e marcante longa-metragem, e falar da sua longa carreira, de mais de 50 anos, como crítico de cinema nos principais jornais e revistas portugueses e da sua passagem pela televisão.

 

FANTASCLASSICS- Celebra-se ainda os 30 Anos de um clássico do Cinema de Horror Britânico, DREAM DEMON”, na presença do realizador Harley Cokeliss, no seguimento do restauro e digitalização4K do seu filme-culto, em 2017, pelo British Film Institute.

 

O GRANDE CINEMA DO MUNDO E A BIOÉTICA...

 

O “Grande Cinema do Mundo” é o como vimos o tema genérico desta 38ª edição, cujo programa vai ser apresentado em breve . Como subtema teremos a “Ética e a Sua Expressão no Cinema e nas Artes

 

CONFERENCIAS, DEBATES E WORKSHOPS, preenchem o programa. Salientam-se:

 

 1-  Forum Bioética e Cinema com a Conferência “BC2= ? QUAL O PRODUTO DA BIOÉTICA, CINEMA E CIÊNCIA?” em colaboração com a Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, moderado pelo Professor Dr Ricardo Ferraz, com a presença de especialistas nas áreas da Astrofísica, Literatura de Ficção Científica, Cinema, Bioquímica e Bioética.

 

2- ENCONTRO NTERNACIONAL DA COMUNIDADE DE ACTORES E CINEASTAS, sob orientação de Ricardo Pinho, um evento profissional  de networking.

 

3-  DEBATE “Que futuro para o finaNciamento dos agentes culturais?” que abordará as dificuldades e discrepâncias na sustentabilidade dos promotores de Cultura, sob orientação do Professor Martin Dale, da Universidade do Minho.

 

O 38º FANTASPORTO será entre 20 de Fevereiro e 4 de Março, com a competição a começar no dia 23 de Fevereiro.  No Teatro Rivoli.

Completa-se assim o programa do Fantasporto 2018, actualmente classificado entre os 10 melhores festivais independentes do mundo .  http://www.tripper.pt/film/top-independent-film-festivals-not-miss-lifetime#.VngXqDb6S7Y

 

O Fantasporto é uma produção com o ICA (Ministério da Cultura), a Câmara Municipal do Porto e a Unicer, como patrocinador principal.

 

A Cinema Novo, organizadora do Fantasporto, é uma cooperativa cultural reconhecida pelo Estado Português como um Organismo Privado de Utilidade Pública, Medalha de Ouro da Câmara Municipal do Porto desde 2005 e Medalha de Mérito Cultural do Governo Português.